Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

No comando: LOVE SONGS

Das 00:50 às 02:35

No comando: PONTO DE ENCONTRO

Das 01:35 às 03:45

No comando: BAÚ SERTANEJO

Das 03:00 às 04:35

thumbs-php
No comando: BAÚ SERTANEJO

Das 04:20 às 06:00

No comando: LIGAÇÃO NACIONAL

Das 04:35 às 05:40

paulo-guerra
No comando: Jornal Da Manhã

Das 05:40 às 07:00

No comando: Pesca Legal

Das 07:00 às 08:00

No comando: Manancial de Vida

Das 07:00 às 08:00

No comando: Bom Dia Cidade

Das 07:00 às 08:00

copia_de_
No comando: Bom Dia Cidade

Das 07:00 às 09:00

No comando: Encontro com o Rei

Das 08:00 às 09:00

No comando: Direto de Brasília

Das 08:00 às 09:00

No comando: Recordações

Das 09:00 às 10:30

No comando: CIRCUITO MUSICAL

Das 09:00 às 11:00

No comando: RITIMOS

Das 10:30 às 12:00

No comando: Frequência Total

Das 11:00 às 13:00

No comando: Momento do Brega

Das 12:00 às 14:00

No comando: SHOW DA 91

Das 13:00 às 15:00

No comando: Pagode & Cia

Das 14:00 às 16:00

No comando: TARDE SHOW

Das 15:00 às 17:00

No comando: 60 MINUTOS

Das 15:15 às 16:05

a-hora-do-rock
No comando: A Hora do Rock

Das 16:00 às 18:00

No comando: MEGA MIX

Das 16:06 às 17:55

No comando: ZONA LIVRE

Das 17:00 às 19:00

No comando: THE MUSIC OF TIME

Das 17:40 às 19;30

locutor-marlon-lima
No comando: TOP 10 INTERNACIONAL

Das 18:00 às 19:55

No comando: A Santa Missa

Das 19:00 às 20:00

No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 às 20:00

No comando: Pista Alternativa

Das 19:00 às 22:00

No comando: Caravanas de Levitas

Das 19:OO às 20:00

No comando: NIGTH TEFEENSE

Das 20:00 às 22:00

No comando: SEMPRE AMIGOS

Das 20:25 às 22:15

No comando: Amado Batista

Das 22:00 às 23:00

2016-2017-logo-pop-dj
No comando: POP DJ

Das 22:00 às 23:50

No comando: BRASIL SHOW

Das 23:00 às 00:45

No comando: DETONA MIX

Das 23:55 às 01:35

Por “um bife”: grupo passa horas à beira da estrada vigiando carga tombada

Compartilhe:
populacao-retira-carne-de-um-caminhao-tombado-na-rodovia-regis-bittencourt-em-sao-paulo-1599603457866_v2_900x506

Acompanhadas pela polícia, parte das pessoas no local conseguiu pegar algumas peças pela manhã após o tombamento. Os demais passaram a tarde à beira da rodovia esperando por uma oportunidade.

Do outro lado da pista, onde a população se aglomerava — a maior parte usando máscaras —, vinham os pedidos: “Libera a carne! Só queremos comer um bife!”, gritavam os presentes em uma mistura de questionamento, ironia e necessidade.

O mecânico Rogério, 62, deixou a oficina nas mãos do filho para acompanhar o acidente logo pela manhã. Em meio à pandemia, ele diz que os negócios estão piores do que nunca.

A dona de casa Maria das Dores, 59, chegou ao local com os dois filhos na faixa dos 20 anos de idade no meio da manhã. Desapontada, ela diz que viu pessoas com peças, mas não conseguiu pegar.

O que eles vão fazer com essa carne? Me diga. Ninguém diz! Deviam dar pras pessoas. Eu sei fazer um bom uso dessa carne.”Maria das Dores, 59, em tom bem-humorado

Segundo funcionários do frigorífico e da seguradora, cerca de 30% das 25 toneladas de carga foram saqueados. A dona de casa questiona o dado. “Levaram poucas peças! Chuto uns 5% de tudo. Eles são assim, não dividem com o povo”, disse, enquanto via outro caminhão da empresa ser abastecido pelo tombado.

“Se o cheiro estiver bom, corona é nada”

Cerca de 10 horas após o acidente, um grupo de aproximadamente 50 pessoas ainda esperava no local do acidente. Quase todos usavam máscaras, mas o medo de ser infectado pelo novo coronavírus não aparecia nos depoimentos como a principal preocupação dos presentes.

“Minha preocupação é a carne estar podre, [depois de] tanto tempo parada, né?”, afirmou a manicure Nicolly, 22. Ela desmarcou um atendimento para ir ao local acompanhada de duas amigas. “Se a comida estiver boa, com um cheiro bom, corona é nada”, afirmou a jovem.

Já Lúcia, desempregada desde o início da pandemia em março, alimenta os filhos com o salário mínimo do marido. Para ela, a situação seria uma oportunidade para ter carne na mesa de novo.

Tenho dois filhos para alimentar. Não precisava ser mais de uma peça, não. Uma só já dava pra gente.”Lúcia, desempregada

Lúcia chegou ao local por volta das 16h com o cunhado, Wesley, e um amigo. Segundo ela, eles colocaram dois isopores no porta-malas para levar a comida, mas não se arriscariam com a polícia. “Podiam deixar pegar, essa carne não tem nem uso mais para eles”, lamentou. Wesley discordou. Cozinheiro em um restaurante em Itapecerica, ele afirma que ainda devem usar a carne para fazer carne de sol.

Hipóteses como essa circulavam entre as pessoas que acompanhavam a retirada da carne. “Ouvi da boca de um fiscal que eles iam lavar e vender de novo. O dono do frigorífico afirmou que eles poderiam vender”, contou um dos homens que acompanhava a cena, mas que não quis se identificar.

Entre outros, circulava a informação de que a seguradora havia liberado o acesso a população à carga, mas a polícia havia impedido. Nenhuma das hipóteses foi confirmada pela reportagem.

Polícia dispersou população no local do tombamento da carga - Lucas Borges Teixeira/UOL - Lucas Borges Teixeira/UOL
fonte:uol

Deixe seu comentário: